Geração Distribuída de Energia Solar – Como funciona?

“Quer saber como funciona a geração distribuída de energia solar? Está no lugar certo! Neste texto, você vai pode entender como funciona a micro e mini geração, a geração compartilhada e muito mais. Continue a leitura do texto.”

O mundo está mudando. Muitas pessoas procuram soluções diferentes para gerar energia. Com isso, o interesse por soluções renováveis independentes têm sido grande. E várias pessoas buscam hoje gerar sua própria energia para a sua casa ou empresa. Desde de 2012 essa prática é autorizada no Brasil.

Geração Distribuída de Energia Solar

Geração Distribuída (GD) é uma expressão para falar da geração elétrica realizada junto ou próxima de consumidores independentes da potência. A energia é compartilhada de uma fonte independente, como um gerador de energia solar, por exemplo. Além dos geradores também existem outras formas de gerar energia elétrica.

Isso tipo produção de energia se enquadram na categoria de geração distribuída. Entre essas estão painéis fotovoltaicos e ainda pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH’s). Portanto podemos concluir que as opções são diversas. Vamos a seguir entender melhor as regras para gerar energia de forma independente.

O que são Micro e Minigeração Distribuídas?

Em 17 de abril de 2012 entrou em vigor a Resolução Normativa ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) nº 482/2012. Que garante aos brasileiros gerarem sua própria energia elétrica a partir de fontes renováveis ou cogeração qualificada. Além disso, esse consumidor, você por exemplo, pode ainda fornecer o excedente para a rede de distribuição de sua localidade.

É justamente essa concessão de energia para outros que é chamada de micro e da minigeração distribuída de energia elétrica. Essas inovações podem aliar economia com sustentabilidade. E contribuir para que uma comunidade inteira gere energia de forma limpa e com consciência socioambiental.

Veja também:  Energia Solar para Condomínios - Entenda como funciona

As vantagens desse tipo de geração de energia são as mais diversas. Um dos principais é o fato de ter baixo impacto ambiental. Porém a geração distribuída também contribui para a redução do carregamento das redes, diminuição de perda das mesmas, e a diversificação das fontes de geração de energia elétrica.

Geração Compartilhada

A ANEEL criou a modalidade de “geração compartilhada”, que possibilita a criação de consórcio ou uma cooperativa para instalar micro ou minigeração distribuída. Possibilitando assim, que a energia gerada seja usada para a redução das faturas dos consorciados ou cooperados.

Existem regras específicas para conectar a micro ou mini geração distribuída à rede da distribuidora. Elas dizem respeito a número de watts e prazos de conexão. Essas normas foram estabelecidas pela ANEEL, e são bem simples, vamos agora entender melhor.

Foram estabelecidos formulários padrão para realizar a solicitação de acesso pelo consumidor e o prazo total para a distribuidora conectar usinas de até 75 kW. Antes o prazo era de 82 dias, mas foi reduzido para 34 dias. Além disso, a partir de janeiro de 2017, os consumidores puderam fazer a solicitação e acompanhar o andamento da sua solicitação junto à distribuidora pela internet.

Geração Distribuída de Energia Solar

Crédito de energia na geração distribuída

Caso a energia injetada em sua rede seja superior à consumida, é criado um “crédito de energia” que não pode ser revertido em dinheiro. Esse crédito pode ainda ser utilizado como desconto no consumo da unidade nos meses seguintes.

Além disso, esse benefício se estende a outras unidades de mesma titularidade, desde que todas as unidades estejam na mesma área de concessão. Isso então significa que se você usa geração compartilhada, todos podem usar desse crédito. A validade desse serviço é de 60 meses.

Veja também:  Energia Solar no Campo - Quais são os benefícios?

Em termos práticos podemos usar o exemplo da fonte solar fotovoltaica. Durante o dia a energia gerada pela central que não foi usada é passada para a rede. Então no período da noite a rede devolve a energia para a unidade consumidora para suprir as necessidades adicionais.

Sendo assim, a rede funciona como uma espécie de bateria. Porque ela armazena o que sobra até o momento em que a unidade consumidora precisa de energia que vem da distribuidora. Isso faz com que a energia não seja desperdiçada, e você então pode economizar mais.

Como aderir micro ou minigeração distribuída

O custo de geradores e condições de financiamento de instalação de micro ou minigeração distribuída não é determinado pela ANEEL. Portanto cabe a você pesquisar e analisar a relação custo e benefício para instalação dos geradores. Existem diversos fatores a serem levados em conta. Aqui vamos listar alguns para que você fique de olho e tome a melhor decisão possível.

É preciso levar em conta a tecnologia dos equipamentos para a geração de energia solar. Assim como se o porte da unidade consumidora é adequado para o tipo de estabelecimento que vai atender, isso é, se ele é residência ou comércio, por exemplo. Outro fator é a sua localização, se fica no campo ou na cidade. Também é importante se atentar ao valor da tarifa específica para seu tipo de unidade.

Dependendo do tamanho da unidade as condições de pagamento e financiamento do projeto devem variar, fique atento a isso. Além disso, já que o foco aqui é geração distribuída você deve levar em consideração a existência de outras unidades consumidoras que possam utilizar os créditos do sistema de compensação de energia elétrica.

Veja também:  Quanto Custa Energia Fotovoltaica para Casas e Empresas

Agora que você já sabe o que é, como aderir e suas vantagens, procure o sistema de geração distribuída que atende melhor às suas necessidades. Não esqueça de procurar ajuda profissional e pesquisar bem antes de fazer qualquer escolha. Boa sorte.